sábado, 6 de setembro de 2014

Reflexão

O essencial é saber ver, mas isso, triste de nós que trazemos a alma vestida,
isso exige um estudo profundo, aprendizagem de desaprender.
Eu prefiro despir-me do que aprendi,
eu procuro esquecer-me do modo de lembrar que me ensinaram
e raspar a tinta com que me pintaram os sentidos,
desembrulhar-me e ser eu.
 Alberto CaeiroLendo esse pequeno trecho  tão profundo, penso que não são necessárias  muitas palavras para expressar o que sinto.Creio que a tarefa mais difícil e dolorosa, muitas vezes é a aprendizagem de desaprender,  percebo isso como professora quando os alunos falam "alto" algo desse tipo: Professora, a gente aprendeu, mas não foi desse jeito. Como sofrem para desaprenderem para aprenderem o que facilitará algo para eles.Sempre fui de engolir "sapos", cansei inúmeras vezes que até perdi as contas  mas, ninguém nunca percebeu que por traz de tanto silêncio havia uma imensidão de barulho. Desejava expressar meus sentimentos, opiniões e queria falar o que me incomodava, cadê a coragem?O tempo foi passando, muitos conheceram aquela Alessandra e não se deram conta que ela cresceu, mudou, ficou adulta, enfrentou sozinha desafios da vida,...como a vida não polpa nada, até cicatriz deixou.Alguns me cobram: cadê aquela Alessandra?Sabe qual? Silenciosa ao extremo!Hoje sei que é necessário o equilíbrio, mas naquela época não sabia nem o que era.O tempo passou, durante o percurso da vida ouvi muitas vozes "você precisa falar o que sente", hoje luto comigo por que quero desaprender, e quando penso que estou conseguindo, surgi uma voz: cadê aquela Alessandra??Sabem qual?Aquela carregava um imenso barulho na alma, mas ninguém ouvia!O pequeno trecho de  Alberto Caeiro é claro  "eu procuro esquecer-me do modo de lembrar que me ensinaram e raspar a tinta com que me pintaram os sentidos desembrulhar-me e ser eu."Só isso, ser eu e sempre buscando o equilíbrio!!!Não dá para garantir se serei compreendida e caso isso não aconteça, explicarei: Estou me despindo do que aprendi!



Allê Monteiro
  

5 comentários:

Silvana Haddad disse...

Allê:
Ao contrário de você, raramente engoli sapos, rsrsrsr.
Mas, te confesso que ás vezes, é necessário engolir sapos, choros e palavras.
O tempo nos mostra o que vale a pena guardar e aquilo que precisa ser demonstrado.
Nada melhor do que o equilíbrio, para se tornar aquilo que somos de verdade.
Bom domingo.
Bjs.:
Sil

✿ chica disse...

Que linda reflexão,Allê! E nunca fui de engolir sapos... Sempre cuspi tuuuuuuuuuuuudo,rs Mas as pessoas adoram as que são "boazinhas", caladinhas, pra poderem dominar,né? bjs, lindo dia! chica

Allê Monteiro disse...

Sou cobrada diariamente por pessoas que perguntam "Cadê aquela Alessandra", pelas mesmas que me incentivam a expôr o que não gostava...percebo que quando falamos o que nos magoa deixamos de ser doce,estranho,né?
O que para mim é vitória para os outros é uma derrota...vou comigo...pq na hora da dor só eu sinto e ninguém mais.
É isso aí meninas...engolir sapos pra que? Tem horas que é necessário para evitar a guerra com aqueles que nunca vão alcançar tal maturidade!
Tudo com equilíbrio!
Bjsssssssssss

Bruxa disse...

Bom dia, minha querida!

Escolheu um belo trecho de Alberto para expressar o que vai em vc.
Te compreendo perfeitamente pq fui assim - sentia muito, guardava tudo e me estourei não em depressão, mas meu corpo passou por problemas seríssimos e com um acupunturista ouvi "vc precisa colocar pra fora o que sente". Já tratava com a homeopatia e então, fui atrás do equilíbrio.
Acredito, tb, que tudo vem com o tempo. Evoluímos em idade, em pensamentos e o q incomodava, não incomoda mais.
Hoje, sei que cada um tem seu jeito, seu tempo e qdo agem e falam não quer dizer que estão me atacando e sim, projetando o que levam em si.
Acredito que o equilíbrio do físico, mental e espiritual vem com a busca e a perseverança. E quem busca, sempre encontra.
Aprendi que tenho que ser humilde para receber todo o amor do mundo.

Que Deus esteja com vc!
Abração esmagador.

Luma Rosa disse...

Oi, Allê!
Não deve se cobrar tanto! Se engoliu sapos é porque foi preciso; se calou também! Foram as atitudes que no momento do acontecimento vieram de você. Você pode querer mudar o seu jeito de ser, mas você sempre irá reagir conforme a sua essência. O que precisa aprender é se posicionar diante das pessoas. Não tenha medo de dizer que não gostou de algo, assim como deve elogiar/agradecer quando alguém faz algo que goste. Não acho que tenha que anular o seu eu para reaprender uma nova pessoa...
Boa sorte!
Beijus,