segunda-feira, 2 de junho de 2014

Depressão ou Tristeza


Depressão ou Tristeza




A DEPRESSÃO é da ordem do humor, a tristeza da ordem do sentimento. O humor é mais estrutural, o sentimento conjuntural. A expressão sentimento possui significado amplo e engloba quase tudo na vida. E considerando que sentimento é tudo que se sente, quase tudo na vida passa a ser sentimento.
Mas a tristeza enquanto sentimento se vincula a um objeto particular e poupa quase o resto da vida psíquica. É que por ser sentimento, a tristeza vai embora ao se modificarem as situações que a provocaram. “É simples: você vai, a tristeza vem; você vem, ela vai.” (Guimarães Rosa). 
Mas com a depressão não é assim que funciona. A tristeza diminui com atividade física, com alguma novidade, com um presente, passeio, ou quando se experimenta outro sentimento. Isto é: quando o psiquismo não está vazio. 
Mas não é assim com o deprimido, pois a depressão é estrutural (Bergeret), invasora e permanente (Tatossian). Ela não se concentra sobre um sujeito, mas impregna todos os objetos. 
Para o deprimido tudo fora dele é sem interesse e valor. Ele se confunde com sua depressão e ela se torna parte dele, de modo irreversível. Assim, um deprimido que imagina a cura como possível, não está mais deprimido. 
Mas, embora seja de difícil prognóstico existe tratamento para a depressão, envolvendo psiquiatria (medicação) e psicologia (terapia).
A depressão pode, no curso do seu tratamento, proporcionar um novo modo de organização do Eu e ser oportunidade de atualização de potencialidades encobertas, mas isto não é tão frequente, embora possível e desejável. O foco é debelar a depressão e diminuir as suas chances de retorno. Enfim, a orientação terapêutica por ser ampla e complexa, não cabe aqui descrevê-la. 

(Walmir Monteiro – baseado em ideias de Tatossian, Moreira e Bergeret)

NOTA - Uma grande perda, uma fatalidade, uma situação trágica, podem lançar a pessoa em profunda depressão reativa, exógena depressão neurótica (exo=fora) aparecendo como uma reação depressiva da pessoa contra a situação na qual de encontra, ou seja, que vem de fora da pessoa. A Depressão Endógena é a denominação para a depressão constitucional e biológica (endo=dentro), ou seja, que vem de dentro da pessoa. Seria a Depressão que não depende da situação vivencial da pessoa, mas dos elementos de personalidade.

 Blog de Walmir Monteiro

3 comentários:

Bruxa disse...

Oi Allê!
Bem explicadinho. Pra quem ainda não conhece, fica fácil de entender a diferença.
O bom seria se esses sentimentos não fizessem parte da vida de ninguém, pois é muito triste viver ou vivenciar tal situação.

Abração e linda tarde.

Allê Monteiro disse...

Verdade amiga Bruxinha!
Quando li entendi perfeitamente, simplesmente pq foram claras e muitos não conseguem entender exatamente por falam de forma tão complexa.
É triste e como é triste viver tudo isso e mais triste ainda é vivenciar tudo como a protagonista.
Mas, posso dizer que tudo é possível.
Não podemos ter medo de falar sobre o assunto.
Boa noite amiga!!!
Bjss
Allê Monteiro

WALMIR MONTEIRO disse...

Muito bom postar orientações para o público nesse aspecto emocional, tocante a sentimentos e afecções de tristeza e outras formas de descontentamento. Abraço grande Alessandra.