quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

"Não tenho nenhuma religião instituída, mas tenho uma profunda visão “religiosa”, sagrada, da natureza, das pessoas, do outro."

Lya Luft
Foto: "Não tenho nenhuma religião instituída, mas tenho uma profunda visão “religiosa”, sagrada, da natureza, das pessoas, do outro."
 
Lya Luft




“Amor vem de amor. Vem de longe, vem no escuro, brota que nem mato que 
dispensa cuidado e cresce com a mais remota chuva. Vem de dentro e fundo e com urgência. Amor vem de amor. Que não cabe, mas assim mesmo a gente guarda. A gente empurra, dobra, faz força, deixa amassado num canto, no peito, no escuro, dentro, ou larga pegando sereno. Amor vem de amor. Vem do pedaço mais feio, do mais sem palavra, do triste, vem de mãos estendidas. É tecido desfeito pelo tempo, amarelecido pelo tempo, pelo cheiro da gaveta fechada, pelo riscado do sol na madeira. Amor vem de amor. Vem de coisa que arrebata, vira chão, terra, cisco, resto, rastro, coisa para sempre varrida. É delicadeza viva forte violenta. Que faz doer, partir, deixar caído. Amor vem de amor. E dói bonito.”

Guimarães Rosa

5 comentários:

Chris Ferreira disse...

Oi Allê, duas citações lindas!
beijos
Chris
Inventando com a Mamãe

Silvana Haddad disse...

Allê:
Estou sem palavras, ....
Lya Luft escreve e descreve cenas do cotidiano com precisão, delicadeza e inteligência.
Guimarães Rosa é um grande escritor, que com simplicidade toca o coração.
Seu post vai parar direto na minha Sinopse Semanal, que vai ao ar no domingo, ok.
Bjs.:
Sil
http://meusdevaneiosescritos.blogspot.com.br/

Sonia disse...

"Amor que dói bonito!" Lindo isso! Saudade também é dor que dói bonito, não achas?
Abraço!
Sonia

Allê Monteiro disse...

Obrigada Silvana!!!!
Bjssssssssssssssss

Allê Monteiro disse...

Perfeito!!!!!!!!!!